Lendo agora:
Acaso
Artigo completo 3 minutos de leitura

Acaso

acaso

Acordei e através da janela contemplei um dia de sol majestoso. Gosto do frescor do tempo de chuva, mas uma manhã de sol me encanta, revigora e anima meu espírito para mais um passo na caminhada terrena.

Ao escovar os dentes pensei no acaso. Ele poderia por si só dar as respostas para nossas dúvidas quanto à existência do universo, da terra, do homem.

Lembrei-me de meu cunhado ateu ferrenho, combatível e irascível quando se vê diante de oponentes à sua concepção da vida. Para ele simplesmente obra do acaso.

Mas, qual é mesmo a definição de acaso? “Algo que acontece sem finalidade ou sem objetivo, isto é, algo sem causa final. Neste sentido, o acaso se opõe à teleologia. Wikipédia.

Nesses últimos anos li diversos autores como Stephen Hawking – O Mundo uma casca de noz; Stephen Dawking – Deus um delírio; Collins – A Mensagem de Deus -, Porque o Mundo existe-  Jim Holt; A resposta a Jó, Jung;  Alma Imoral,  Nilton Bonder, dentre outros.

Esses autores são geniais, brilhantes, poder-se-ia dizer leitura obrigatória para aqueles que, ao longo dos séculos, diante da imensidão desse universo se perguntam de onde viemos, para onde vamos?

Acaso o acaso seria responsável por um coração que pulsa no feto no ventre da mãe, pela flor que abre perfumando a vida, pelo sorriso do filho que amamos, pela mulher que conquista nossa atenção e se apossa dos nossos sentimentos? Pelas estações, pela brisa suave que acaricia nossas faces e não a vemos, pelo irromper da vida teimosamente a cada dia que nasce mesmo nas regiões mais impróprias para a sua existência em nosso planeta?

Ah! acaso você é fantástico! Tão fantástico que há 50 anos nossas naves percorrem o espaço, chegaram ao limite do sistema solar e ainda não encontraram vida. Tão maravilhoso que do nada fez emergir a primeira célula viva e a levou a criar o que de mais precioso, intrincado, complexo, imprevisível, divino se não estivéssemos falando do acaso, que é o cérebro humano com seus bilhões de neurônios e sua capacidade de se renovar cotidianamente e a promoverem novas conexões quando algo afeta de maneira irremediável alguma parte de si.

Ah acaso, tantas coisas terríveis esses cérebros fizeram e vão continuar a fazer, mas quantas coisas maravilhosas, inimagináveis ainda realizarão.

É acaso você não tem finalidade nem objetivo. Nascer, poder desfrutar do privilégio de habitar por alguns anos essa terra incrivelmente bela, simplesmente viver, amar, reproduzir, estar em paz em e uníssono com a natureza adormecer com a lua e acordar com o astro rei, não seria o objetivo?

Acaso, será que temos a capacidade efetiva de discernir essa finalidade tão procurada? Ou o simples caminhar na terra, perpetuar a espécie, dar nossa contribuição para  fazê-la transcender de animais para um ideal utópico de paz, fraternidade, solidariedade e amor não respondem a grande questão do “de onde viemos para onde vamos”?

Evidente que não tenho a resposta, mas nem todos os autores que até hoje li a forneceu para mim.

Primavera de 2013.

Helio Sampaio

(Fonte: Autoral / Foto: Google Imagens)

ASSINATURA

Lena Sena foi empresária do mundo da moda e também do segmento de alimentação. É designer de interiores e paisagista, duas de suas grandes paixões. Também é arteira, como gosta de ser chamada entre os que trabalham com artesanato, atividade que continua a lhe conferir belas criações.

Deixe seu comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Input your search keywords and press Enter.