Lendo agora:
Salvador é retratada em maquete no saguão do aeroporto
Artigo completo 3 minutos de leitura

Salvador é retratada em maquete no saguão do aeroporto

“Não existe escala real, mas de sentimento”, explica o autor

 

Jandaraí Alves, 46, estava inquieta diante da redoma de vidro espesso que protege a maquete de 50m² da cidade de Salvador, obra do artista plástico Chico Di Assis. “Onde é minha casa?”, indagou ela, funcionária de serviços gerais do próprio aeroporto, depois de  tentar  localizar o bairro de Caixa D’Água que, infelizmente, não estava bem definido entre as casinhas de madeira. Mas quase todos os pontos turísticos da capital, incluindo a Igreja do Bonfim e a Ponta de Humaitá, e até aqueles ora esquecidos, como a Península de Itapagipe e o Subúrbio, estão lá e encantam.

 

RTEmagicC_maquete_salvador_marina_silva.jpg

Maquete chama a atenção pelo realismo, apesar de não ter sido feita em escala: ‘Onde é minha casa?’, procurou uma funcionária

 

Seis meses, 14 pessoas e inúmeras  placas de isopor fixadas em MDF representam a Salvador e Região Metropolitana que Assis só via da janela do avião e nos mapas que desenhava. “Não existe escala real, mas de sentimento. Desenhei os pontos mais relevantes, e tudo isso está dentro do interesse turístico”, explica o autor, atento aos comentários do público.

Próximo da escada rolante que liga o primeiro pavimento à praça de alimentação superior do aeroporto internacional de Salvador, transeuntes fitam por vários minutos a peça de 600kg descortinada ontem. Pedro Alexandre Avancini, 7 anos, e Guilherme Azevedo, 5, estavam eufóricos diante da  réplica do trem do Subúrbio em movimento, das tartarugas que simulavam o retorno ao mar em Praia do Forte e  no trio elétrico,  seguido por foliões com luzes de led. Eles também apontavam para a Praia do Flamengo, onde um deles mora. “Lindo, adorei”, comentou Alexandre. Roberto Fiusa, que acompanhava os garotos, elogiou a representação de Lauro de Freitas. “Achei a coisa mais linda do mundo. Quem chega na cidade tem uma visão dos pontos e pode escolher aonde quer ir”, frisou.

É Carnaval na Mini-Salvador! Trio puxa foliões iluminados por led na orla da Mini-Barra

Ao menos nos próximos seis meses, o trabalho permanecerá exposto 24 horas no espaço cedido pela Infraero. Para ser construído, foram utilizadas imagens capturadas pelo Google Street View, além de fotografias e desenhos à caneta. De acordo com Assis, os 10 mil itens que compõem o trabalho – incluindo um avião que sobrevoa a estrutura – não foram previamente projetados, mas sim, elaborados durante o processo de construção. Orçado em R$ 500 mil, será  uma espécie de mídia publicitária. Mas diante da sua beleza, qualquer anúncio será trivial.

Trem anda pelo Subúrbio da maquete. Beleza e capricho nos mínimos detalhes da obra

 

(Fonte: Portal Jornal Correio da Bahia / Fotos: Marina Silva)

 

ASSINATURA

 

 

Lena Sena foi empresária do mundo da moda e também do segmento de alimentação. É designer de interiores e paisagista, duas de suas grandes paixões. Também é arteira, como gosta de ser chamada entre os que trabalham com artesanato, atividade que continua a lhe conferir belas criações.

Deixe seu comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Input your search keywords and press Enter.