Lendo agora:
“Recebi com indignação a decisão”, diz Dilma Rousseff
Artigo completo 3 minutos de leitura

“Recebi com indignação a decisão”, diz Dilma Rousseff

A presidente Dilma Rousseff (PT) se pronunciou nesta quarta-feira, 2, após o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), aceitar o pedido de impeachmen contra ela. “Recebi com indignação a decisão do senhor presidente da Câmara dos Deputados de processar pedido de impeachment contra mandato democraticamente conferido a mim pelo povo brasileiro””, disse a presidente em pronunciamento no Palácio do Planalto [assista abaixo na íntegra].

 

Dilma fez um pronunciamento no Palácio do Planalto

Dilma fez um pronunciamento no Palácio do Planalto

 

“São inconsistentes e improcedentes as razões que fundamentaram esse pedido. Não existe nenhum ato ilícito praticado por mim, não paira contra mim nenhuma suspeita e desvio de dinheiro público”, acrescentou.

Ela ainda alfinetou o Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que aceitou o pedido, ao afirmar que não possui conta no exterior e nunca ocultou patrimônio pessoal. Cunha é alvo de investigações pela Procuradoria-Geral da República no âmbito da Operação Lava Jato por supostamente possuir contas na Suíça das quais seria beneficiário. “Meu passado e meu presente atestam a minha idoneidade e inquestionável compromisso com as leis e as coisas públicas”, disse Dilma.

Ela disse que vê a abertura do processo com tranquilidade e garante ser improcedente. “Temos que ter tranquilidade e confiar nas instituições do estado democrático”, afirmou. “São inconsistentes e improcedentes as razões que fundamentaram esse pedido. Não existe nenhum ato ilícito praticado por mim, não paira contra mim nenhuma suspeita e desvio de dinheiro público”, acrescentou.

Também negou que tivesse participado de barganha política. “Nos últimos tempos, e em especial nos últimos dias, a imprensa noticiou que havia interesse na barganha dos votos na Câmar dos deputados. Em troca haveria o arquivamento de pedidos de imepachment. Jamais concordaria com quaisquer tipod e barganha”, garantiu.

Ritos do impeachment

Leitura – Eduardo Cunha lê denúncia no plenário da Câmara e envia o documento a uma comissão especial.

Análise – Composta por deputados federais de todos os partidos, a Comissão Especial   emite parecer sobre requisitos formais da denúncia.

Defesa – A Câmara  envia  notificação à presidente Dilma Rousseff para que ela, “querendo”, se manifeste numa defesa escrita no prazo de 10 sessões ordinárias

Relatório – Após defesa, comissão tem prazo de cinco sessões para apresentar relatório  a favor ou contra abertura de processo

Câmara – No plenário da Câmara dos Deputados, o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff  será aberto  se dois terços (342) dos 513 deputados votarem a favor

Afastamento – Aberto o processo, a presidente é obrigada a se afastar por 180 dias e a ação segue para o Senado.

Senadores – A sessão no Senado que decidirá sobre  o afastamento da presidente será presidida pelo presidente do Supremo  Tribunal Federal (STF). O  impeachment será aprovado se dois terços (54) dos 81 senadores votarem a favor

Opções – Absolvida, a prsidente Dilma retoma o mandato. Se condenada, o vice é  logo empossado

 

(Fonte: Portal Jornal A Tarde / Foto: Reprodução | TV NBR)

 

ASSINATURA

 

Lena Sena foi empresária do mundo da moda e também do segmento de alimentação. É designer de interiores e paisagista, duas de suas grandes paixões. Também é arteira, como gosta de ser chamada entre os que trabalham com artesanato, atividade que continua a lhe conferir belas criações.

Deixe seu comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Input your search keywords and press Enter.