Lendo agora:
Motorista sem multa poderá ter desconto para renovar CNH
Artigo completo 4 minutos de leitura

Motorista sem multa poderá ter desconto para renovar CNH

Boas práticas no trânsito poderão render economia

Boas práticas no trânsito poderão render economia

 

Após dez anos de habilitado, o porteiro Antônio Cintra nunca foi multado no trânsito. “Regras devem ser seguidas. Ando sempre devagar, com muita atenção. Se tem um apressado atrás buzinando, deixo passar. O problema não é nem a multa, mas o acidente”, avalia.

Caso o Projeto de Lei 19.421/2011, aprovado em dezembro pela Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), seja sancionado pelo governador Rui Costa (não há prazo definido), o porteiro não pagará nada para renovar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH). A renovação custa R$ 132 e deve ser feita a cada cinco anos.

A proposta, de autoria do deputado Ângelo Coronel (PSD), cria o selo Motorista Cidadão, que prevê desconto de até 100% na renovação da CNH para os “bons condutores”,  que não descumprem as leis de trânsito.

Receber multa inviabilizará desconto previsto na lei (Foto: Joá Souza l Ag. A TARDE)

Categorias

A proposição do deputado cria três categorias distintas de selos: Amarelo, com  desconto de 50% no valor da renovação, se o condutor não cometer infração em um ano; Azul,  redução de 75% para ausência de  infrações por dois anos;  e o selo Verde,  desconto de 100%, caso o motorista não receba multas por três anos.

A ideia do deputado é que o selo seja colocado na CNH do condutor e também no veículo. “O objetivo é incentivar uma direção preventiva, consciente e responsável, além de incentivar novas atitudes e  práticas dentro da realidade do  trânsito no estado”, ressalta o parlamentar, que ainda defende que o estado faça campanhas educativas complementares.

Antônio Cintra acredita que a proposta pode conscientizar os condutores. “Não deixa de ser um incentivo a boas práticas no trânsito. Então, acredito que vai ser bom”, diz o porteiro.

Já o taxista Antônio Santos Galo, 47, não seria beneficiado, pois foi notificado no mês passado. Ele também concorda com o projeto. “As pessoas vão evitar as infrações e vão ser mais cuidadosas”, opina.

Ângelo Coronel justifica, ainda, que a redução de acidentes e de infrações são objetivos da proposta. “Segundo dados oficiais, 90% dos acidentes ocorrem por  imprudências como  velocidade excessiva, dirigir sob efeito de álcool  ou drogas e  desrespeitar a sinalização”.

Em 2015, a Superintendência de Trânsito do Salvador (Transalvador) notificou 658.265 condutores. No argumento do deputado, a proposta é uma forma de premiar os “bons condutores”, da mesma maneira que os “maus” são punidos com multas.

Ele ressalta, ainda, que “ações socioeducativas e de fiscalização, aliadas a incentivos  financeiros, são estratégias  motivadores para a  busca de uma atitude mais consciente e responsável  por parte dos motoristas”.

A proposta é similar à “tarja dourada”, implantada em 2001 pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) para  condutores que passassem três anos sem cometer infrações, com desconto de 20% no pagamento do seguro obrigatório.

 

Membro da OAB não vê efetividade na proposta

O advogado Marcelo Araújo, presidente da Comissão de Trânsito da Ordem dos Advogados do Brasil  – Seção Paraná (OAB-PR), questiona a efetividade do projeto.

Segundo ele, a proposta pode não ter sucesso na redução de acidentes e incentivo ao cumprimento das leis. Mais efetivo, ressalta, seria investir em políticas de educação para o trânsito.

“Premiar quem cumpre as leis de trânsito é como premiar o taxista que devolve um celular esquecido ao cliente. É uma medida que premia aquilo que é certo. Normalmente, o prêmio é dado para uma medida excepcional”, opina.

Para ele, o selo pode  incentivar a propina: “O agente, ao identificar a infração, pode dizer que se for te multar, você pode perder o benefício”. Outro ponto apontado é nos casos de pessoas habilitadas que não dirigem com regularidade.

“Um empresário, por exemplo, contrata um motorista, passa três anos sem multa e ganha o benefício, mas o motorista dele,  no trânsito diariamente, pode receber uma multa e não ser beneficiado. Esse empresário ajudou alguma coisa no trânsito?”, questiona.

Para ele, “a intenção é boa, mas é mais interessante um trabalho educativo com as leis de trânsito, riscos de infringi-las e contra os altos índices de acidentes”.

 

(Fonte: Portal Jornal A Tarde – Luan Santos/ Foto: Joá Souza l Ag. A TARDE)

 

ASSINATURA

 

 

Publicidade

 

Deixe seu comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Input your search keywords and press Enter.