Lendo agora:
Lei obriga escolas a exibirem filmes de produção nacional
Artigo completo 2 minutos de leitura

Lei obriga escolas a exibirem filmes de produção nacional

Estudantes do Colégio Estadual Landulpho Alves assistem a exibição do filme Narradores de Javé

Estudantes do Colégio Estadual Landulpho Alves assistem a exibição do filme Narradores de Javé

Lei determina que as escolas brasileiras exibam mensalmente, pelo menos, duas horas de filmes produzidos no Brasil. A nova legislação, que entrou em vigor no final do mês de junho, alterou o artigo 26 da lei 9.394 que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. O texto determina que a exibição dos filmes seja um componente curricular complementar e  integre a proposta pedagógica da escola. Para fazer cumprir a lei, prefeitura e governo  mobilizam recursos para incluir a linguagem audiovisual no processo de ensino da educação básica.

Para cineastas e professores, a exibição obrigatória vai ajudar a alavancar a produção nacional, além de formar plateia. No entanto, será necessário cuidado na seleção dos filmes e no planejamento das aulas.

A maioria das escolas de Salvador já dispõe de aparelhos audiovisuais como televisores, aparelhos de DVD, retroprojetores e computadores, informa Edna Rodrigues, coordenadora de ensino e apoio pedagógico da Secretaria Municipal da Educação (Smed).

“Além disso, este ano, todos os professores foram contemplados com computadores portáteis  e podem utiliza-los como instrumento pedagógico. As escolas que ainda não possuem os aparelhos podem adquiri-los através do PDDE (Programa Dinheiro Direto na Escola), que é um recurso destinado, também, para este fim”, afirma.

Segundo Edna, a programação dos filmes deverá ser feita em conjunto: “A escolha dos títulos deve ser discutida de forma coletiva entre secretaria e unidades escolares para contemplarmos as necessidades e especificidades das escolas”.

A Secretaria da Educação do Estado da Bahia (SEC) informou que vem fomentando a produção e exibição de conteúdos audiovisuais educativos nas escolas da rede pública, por meio de projetos que dotem as unidades de  infraestrutura apropriada, a exemplo da distribuição de 6.438 TVs, em 970 unidades escolares, 250 projetores multimídias para 160 escolas e  25 mil tablets aos professores,  entre os anos de 2008 a 2013.
 

(Fonte: Portal Jornal A Tarde – Jair Mendonça Jr./ Foto:Welton Araújo| Ag. A TARDE)

 

ASSINATURA

Lena Sena foi empresária do mundo da moda e também do segmento de alimentação. É designer de interiores e paisagista, duas de suas grandes paixões. Também é arteira, como gosta de ser chamada entre os que trabalham com artesanato, atividade que continua a lhe conferir belas criações.

Deixe seu comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Input your search keywords and press Enter.