Lendo agora:
A um mês da Copa, Corinthians entrega casa própria com remendos e bagunça
Artigo completo 5 minutos de leitura

A um mês da Copa, Corinthians entrega casa própria com remendos e bagunça

Às 9h do dia 10 de maio de 2014, os portões se abriram diante da arquibancada leste do estádio do Corinthians…

Torcedores fazem festa na inauguração do estádio do Corinthians

Torcedores fazem festa na inauguração do estádio do Corinthians

Às 9h do dia 10 de maio de 2014, os portões se abriram diante da arquibancada leste do estádio do Corinthians. Uma procissão de torcedores com telefones celulares e câmeras fotográficas em riste começou a caminhar em direção àquilo que poderia muito bem ser chamado de santuário sagrado para essas pessoas.

Parte da torcida se sentou no chão em jogo festivo no estádio do Corinthians

Parte da torcida se sentou no chão em jogo festivo no estádio do Corinthians

Pela primeira vez em quase 104 anos de história o Corinthians proporcionou a sua legião de seguidores a chance de pisarem em um chão próprio para o time mandar seus jogos.

A façanha foi alcançada, está pronta. O estádio, ainda não.

Pressionado pela aproximação da partida de abertura da Copa do Mundo, que será disputada em Itaquera, o Corinthians realizou neste sábado o primeiro evento teste do estádio com presença maciça do público – 20 mil ingressos foram colocados à venda e pouco mais de 17 mil compareceram – e mostrou a todos uma casa inacabada durante amistoso entre ídolos da torcida, Corinthians x Corinthians.

Arquibancadas sem cadeiras, cobertura incompleta, fios atravessados pelo chão, andaimes do lado de fora e de dentro, banheiros sem papel e vasos sanitários sem descarga, pisos, tetos e paredes sem acabamento e sujos, tudo a pouco mais de 30 dias para o início do Mundial, em 12 de junho. Os sinais de celular e de internet eram precários, como já previam os organizadores da Copa. No entorno do terreno, as obras viárias prometidas pelo governo do estado de São Paulo parecem longe de ser entregues. Sobrou até para o gramado: atletas reclamaram que o terreno estava muito duro.

“Eu afirmo que vai estar pronto. A única coisa que falta nas coberturas são os vidros, que são importados e as lonas das arquibancadas norte e sul. O que falta é acabamento, que todo dia anda um pouco mais e as arquibancadas provisórias, que acabam até 15 ou 18 de maio”, garantiu Andrés Sanchez, ex-presidente do Corinthians e hoje responsável pelo andamento das obras da arena.

Assim que o jogo festivo deste sábado acabou, os operários, que assistiram à bola rolar, voltaram ao batente. A morte de dois trabalhadores atingidos pela queda de uma peça que destruiu parte da fachada da arena, no final do ano passado, aliás, provocou atraso na obra. Uma terceira pessoa faleceu em 2014 ao despencar de um andaime.

Dirigentes alvinegros alegam que a obra não será entregue como planejado pelo clube, com carpetes refinados e mármore nos setores VIP, já que a Fifa não exige esse tipo de requinte para os compromissos da Copa.

E os torcedores também não pareceram se preocupar com a ausência desses acessórios. Neste sábado, os fãs transitavam pelo interior da grandiosa estrutura sorridentes, parando eventualmente em longas filas para um pastel e uma cerveja sem álcool a R$ 6 cada . Os VIP’s usufruíram de cardápio mais variado, com direito a buffet com queijos finos e doces de nozes.

O visitante mais ousado conseguiu transitar com liberdade, das áreas de acesso aos jogadores aos setores reservados, como fez a reportagem do ESPN.com.br, chegando, inclusive, no camarote do ex-presidente Andrés Sanchez, que reprovou a presença da equipe de jornalismo no local. Dezenas de funcionários uniformizados foram contratados para informar aos presentes simplesmente que não havia assentos marcados na arquibancada. Alguns fãs se sentaram no chão.

Mais tarde, o cartola se desculpou pela ‘bagunça’ e prometeu que em 18 de maio, no segundo evento teste, Corinthians x Figueirense, pelo Campeonato Brasileiro, será diferente. “Tivemos algumas dificuldades, peço desculpa. É que vieram muitos jogadores com familiares, a logística ficou ruim, mas no grosso foi tudo perfeito, tudo bem. Dou nota 7,5, 8. No outro domingo vai ser muito melhor. Vai ser com tempo, todo mundo vai ter que se acostumar, vai ter que conhecer seu espaço, vamos aprendendo. Mas com certeza 100% funcionando, a maravilha que a gente imagina, só a partir do ano que vem.”

Pouco mais de 40 mil entradas devem ser disponibilizadas para o duelo com o Figueirense. A arena não será testada com lotação total – 68 mil lugares -, já que as arquibancadas provisórias instaladas especialmente para o Mundial não devem ser liberadas a tempo pelo corpo de bombeiros.

Arquibancadas que são motivo de discordância no clube. Andrés Sanchez pensa que a estrutura móvel, financiada por empresas privadas, deve ser mantida depois da Copa. Outros acham que ela deve ser retirada assim que se encerrar o torneio internacional, preservando-se, assim, o projeto inicial do estádio. Existe a hipótese futura de ampliação da capacidade.

Os dirigentes ainda discutem se o local receberá espetáculos musicais, rendendo verba extra. No momento, a prioridade é acelerar a já atrasada venda dos camarotes e espaços reservados para terceiros. Luis Paulo Rosemberg, ex-dirigente alvinegro, voltará aos bastidores para intermediar o processo. Falta também fechar acordo com uma empresa que pague pelo direito de dar nome à casa alvinegra, os namming rights.

 

(Fonte: Portal msn   / Foto: Lucas Borges/ESPN.com.br)

 

ASSINATURA

 

Lena Sena foi empresária do mundo da moda e também do segmento de alimentação. É designer de interiores e paisagista, duas de suas grandes paixões. Também é arteira, como gosta de ser chamada entre os que trabalham com artesanato, atividade que continua a lhe conferir belas criações.

Deixe seu comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Input your search keywords and press Enter.