Lendo agora:
Conheça mulheres que desafiaram padrões e mudaram como vemos a beleza
Artigo completo 6 minutos de leitura

Conheça mulheres que desafiaram padrões e mudaram como vemos a beleza

zica-assis-sinead-oconor-e-fluvia-lacerda-sao-mulheres-que-desafiaram-os-padroes-de-beleza-1394065064200_615x300

Se olharmos para a História, fica fácil de ver que o padrão de beleza que temos hoje é uma invenção moderna. E chegamos aqui depois de muita reviravolta naquilo que é considerado bonito. Na época Renascentista, por exemplo, as mulheres mais sexies eram as gordinhas, já que comer bem – e, consequentemente, exibir curvas generosas – era considerado sinal de riqueza. Acontece que, de tempos em tempos, surge alguém que sacode a noção corrente de beleza e passamos a ver o belo de outra forma – um nariz grande e fino, um corpo esquelético ou, ao contrário, mais cheinho. Para comemorar o Dia da Mulher, que acontece no próximo dia 8, UOL Beleza fez um apanhado de mulheres que desafiaram os padrões estéticos de suas épocas e criaram – e ainda criam – novos paradigmas de beleza. Veja algumas delas:

album-de-cabelos-historicos---sinead-oconnor-1392139883252_633x503Sinead O”Connor – Uma das imagens mais marcantes dos anos 90 é, sem dúvida, a do clipe de Nothing Compares 2U, música de Prince cantada por Sinead O”Connor. O vídeo, que consiste basicamente de um close da cantora entoando a música, foi eleito o clipe do ano de 1990 pela MTV americana. Se é tão simples, o que, então, chama tanto a atenção? Um dos motivos é, sem dúvida, o visual da cantora, com os cabelos totalmente raspados e um rosto angelical. Bom lembrar que, naquela época, mulher alguma se atrevia a raspar completamente os fios. O clipe e a canção deram à cantora status de superestrela, e ela alcançou sucesso estrondoso na década de 90. Em entrevista, Sinéad chegou a dizer que o visual careca era um protesto contra a imagem tradicional feminina, sempre de cabelos longos. Anos depois, a cantora resolveu a deixar os fios crescerem. Ao ser confundida com a cantora Enya, no entanto, ela raspou- os novamente. “Eu não sinto que sou eu mesma se não estiver com o cabelo raspado. Então mesmo quando eu for uma velha senhora, terei a cabeça raspada”, disse.

fluvia-lacerda-participa-do-bate-papo-uol-1314304470882_375x500

Fluvia Lacerda – Ela não declara seu peso, mas basta ver pelas fotos que é bem mais cheinha do que as mulheres que estamos acostumados a ver nos editoriais de revista. Uma das modelos plus size mais bem sucedidas do mundo, a brasileira Fluvia foi descoberta quando andava em um ônibus em Nova York, para onde se mudou aos 16 anos para estudar inglês. De lá para cá, a carreira deslanchou e a bela já fotografou para grifes internacionais como Kmart, Mar&Nua Barcelona, Torrid e Igigi, além de revistas como Vogue Itália e Bust. Fluvia, que veste manequim 48, já declarou que nunca fez dieta (“Não consigo me imaginar escrava dessas coisas”) e, em 2011, durante a semana de moda Full Figured, em Nova York, foi eleita a modelo plus size do ano. “Amo o que faço. Ser uma modelo plus size é muito mais do que meu ganha-pão. Eu adoro representar mulheres que lutam as mesmas lutas que eu, não apenas em relação a se vestir bem, mas também a encarar críticas por ser uma mulher grande”, declarou, recentemente, ao Huffington Post.

heloisa-premio-claudia

Zica Assis – Na década de 70, quem tinha cabelo crespo ou alisava-os com produtos de química fortíssima, que faziam mal à saúde, ou mantinha-os eternamente presos. Zica, nascida Heloísa Helena Belém de Assis, se tornou cabeleireira para entender melhor o próprio cabelo e encontrar alternativas para não ter que alisá-los, mas sim deixá-los encaracolados, bem cuidados, com brilho e balanço. Fazia misturas e experiências nos próprios fios ou nos do irmão (“No dele era mais fácil pois, se desse errado, era só raspar”, declarou). Foram 10 anos de tentativas até encontrar a fórmula perfeita. Então, lançou seu próprio produto, que batizou de Super Relaxante. Abriu um pequeno salão com a renda obtida pela da venda do carro da família, um Fusca. Foi um sucesso, com direito a fila na porta, atendimentos de madrugada para suprir a demanda e o início de um pequeno império da beleza. Hoje, Zica comanda o Instituto Beleza Natural, que reúne salões de beleza em várias partes do Brasil e uma marca de produtos específicos para cabelos encaracolados, a Cor Brasil. A empresária, que serviu de inspiração para a personagem Monalisa de Heloísa Perissé na novela “Avenida Brasil”, foi apontada pela revista Forbes como uma das 10 mulheres de negócios mais poderosas do Brasil.

spfw---erros-de-beleza-2-1383174101496_956x600Costanza Pascolato – Ela chegou aos 75 anos firme e forte no posto de diva da elegância e bom gosto. Nascida na Itália, em 1939, Costanza chegou ao Brasil aos 5 anos. Pouco tempo depois, seus pais, Michele e Gabriella Pascolato, fundaram a Tecelagem Santaconstancia. Enquanto isso, a pequena Costanza já mostrava que seu negócio era mesmo a moda. No tradicional colégio Dante Alighieri, em São Paulo, a menina ficava de castigo porque teimava em mudar o uniforme. “Subia a barra da saia, usava o casaquinho ao contrário para esconder os botões dourados e inventava novos nós para a gravata”, conta em seu site oficial. Seu bom gosto impecável também a alçou a cargos como o de consultora de moda da revista Claudia e colunista do jornal Folha de S. Paulo. Hoje, Costanza não esconde a idade ? e nem as rugas. A consultora continua inspirando mulheres novas e maduras como exemplo de beleza.

modelo-holandesa-lara-stone-e-a-nova-embaixadora-da-marca-loreal-paris-1381854282396_956x500Lara Stone – A modelo sacudiu o mundo da moda ao exibir em desfiles e capas de revista sua beleza pouco convencional: dentes da frente separados, curvas acima da média para uma modelo de passarela, lábios carnudos e sobrancelhas tão loiras que até somem no rosto da holandesa. Descoberta aos 12 anos em um metrô de Paris, só tornou-se uma modelo de sucesso aos 23, quando Riccardo Tisci, o diretor criativo da Givenchy, a colocou em um de seus desfiles. Na mesma época, ela se tornou modelo exclusiva da Calvin Klein. Foi aí que sua carreira deslanchou. Foi apontada como uma das 30 modelos mais importantes da década de 2000 pela Vogue francesa, ganhou o prêmio de Modelo de Ano em 2010 pelo British Fashion Awards e, hoje, figura entre as modelos icônicas do site models.com. Na esteira do seu sucesso, surgiram outras modelos com lábios grossos e dentes separados, Georgia May Jagger e Lindsay Wixson. Lara Stone, ao que tudo indica, veio para ficar.

(Fonte: Portal UOL – Carol Salles / Foto: Divulgação)

ASSINATURA

 

 

Lena Sena foi empresária do mundo da moda e também do segmento de alimentação. É designer de interiores e paisagista, duas de suas grandes paixões. Também é arteira, como gosta de ser chamada entre os que trabalham com artesanato, atividade que continua a lhe conferir belas criações.

Deixe seu comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Input your search keywords and press Enter.