Lendo agora:
Prestigiados cronistas da Colômbia e do Brasil se encontram na Flica
Artigo completo 3 minutos de leitura

Prestigiados cronistas da Colômbia e do Brasil se encontram na Flica

foto-juan-gabriel-vasquez-c-nina-subin

antonio-prata-por-renato-parada-_11_divulgacao

Colômbia e Brasil têm muito mais em comum do que o fato de estarem localizados na América Latina. Um desses laços está nítido na programação da Festa Literária Internacional de Cachoeira (Flica), que acontece de 13 a 16 de outubro na história cidade do Recôncavo baiano.
A mesa “Histórias de Humor Sutil, Micromundos Familiares e Fratura Generalizada” promove, no sábado (15), às 10h, o encontro de dois cronistas: Juan Gabriel Vásquez e Antonio Prata. Os dois serão mediados por Zulu Araújo, atual diretor da Fundação Pedro Calmon. “Terei a honra e o prazer de mediar esta mesa”, sentencia Zulu.
O texto oficial da Flica sobre a mesa não deixa dúvidas de que o encontro será produtivo: “Uma boa jornada nos prometem tais diagnósticos pátrios análogos. Eles a percorrerão. Dirão sobre a linha imaginária que atravessa uma cidade única, conurbada, no alto Solimões, de um lado chamada Leticia, do outro Tabatinga (fronteira Brasil-Colômbia), o que há de um lado e de outro da linha”.
Querido pelo público baiano, a Flica marca o retorno de Antonio Prata ao estado. Em julho deste ano, o escritor foi uma das atrações da Flica na Caixa. Na ocasião, conversou com a professora Marcia Triburi sobre “a fogueira digital das polêmicas midiáticas”.
AUTORES
Antonio Prata nasceu em São Paulo, em 1977. Tem diversos livros publicados, entre eles “Nu, de Botas”, “Meio Intelectual, Meio de Esquerda” e “Felizes Quase Sempre”. Escreve roteiros para televisão e mantém uma coluna na Folha de S. Paulo.
Juan Gabriel Vásquez nasceu em Bogotá, em 1973. Seus livros já foram traduzidos em 26 idiomas e publicados em mais de 40 países. Vásquez ganhou duas vezes o Prêmio Nacional de Periodismo Simón Bolívar. Em 2012, recebeu em Paris o Prêmio Roger Caillois pelo conjunto da obra, outorgado anteriormente a escritores como Mario Vargas Llosa, Carlos Fuentes, Ricardo Piglia e Roberto Bolaño.
MEDIADOR
Atualmente diretor da Fundação Pedro Calmon, vinculada da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia, o baiano Edvaldo Mendes Araújo é mais conhecido como Zulu Araújo e é graduado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal da Bahia (1985). Com vasta experiência na área cultural, destacam-se a coordenação geral do III Festival Mundial de Artes Negras, (FESMAN), realizado no Senegal, além da coordenação Geral da II Conferência de Intelectuais da África e da Diáspora realizado no Brasil.
FLICA
O Governo do Estado da Bahia apresenta a Flica 2016 e o projeto tem patrocínio da Coelba, da Oi e do Governo do Estado, através da Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura do Estado da Bahia e apoio cultural da Oi Futuro, da Prefeitura Municipal de Cachoeira e da Caixa Econômica Federal. Um evento realizado pela iContent e Cali.
SERVIÇO
O que: Festa Literária Internacional de Cachoeira (Flica)
Quando: De 13 a 16 de outubro
Onde: Cachoeira (130km de Salvador)

Foto: Divulgação

Lena Sena foi empresária do mundo da moda e também do segmento de alimentação. É designer de interiores e paisagista, duas de suas grandes paixões. Também é arteira, como gosta de ser chamada entre os que trabalham com artesanato, atividade que continua a lhe conferir belas criações.

Deixe seu comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Input your search keywords and press Enter.