Lendo agora:
Emmanuel Mirdad lança novo livro de contos
Artigo completo 3 minutos de leitura

Emmanuel Mirdad lança novo livro de contos

Um dos idealizadores e organizadores da Festa Literária de Cachoeira (Flica) – o escritor e produtor cultural Emmanuel Mirdad lança na terça-feira seu terceiro livro, O Grito do Mar na Noite, pela editora itabunense Via Litterarum. Segundo volume de contos após Abrupta Sede, de 2010 (Nostalgia da Lama, de 2014, trazia só poemas), O Grito do Mar na Noite traz dez contos, posfácio de Mayrant Gallo e orelhas de Márcio Matos.

O título faz referência a três livros do escritor baiano Hélio Pólvora  (1928-2015): O Grito da Perdiz (1983), Mar de Azov (1986) e Noites Vivas (1972). A homenagem se estende  com trechos pescados dos livros de Pólvora, o qual Mirdad considera como seu mentor, introduzindo cada conto.

Mirdad: "Meu livro é para se divertir, mas também ensinar, incomodar, refletir e informar"

Mirdad: “Meu livro é para se divertir, mas também ensinar, incomodar, refletir e informar”

 

“Tive a sorte de o Hélio ler este livro antes de falecer (em 26 de março). Ele me disse que  gostou”, afirma Mirdad.O escritor vê o lançamento deste  livro como etapa vencida para atingir um objetivo: “Com esses contos eu faço uma nova ficção, que é o que eu quero fazer em literatura mesmo: me especializar como autor de ficção. É o primeiro passo para chegar ao meu objetivo de escrever romances”,  explica.

Tipos universais

Segundo volume de uma trilogia de livros de contos, o escritor de 35 anos incompletos diz já ter o terceiro volume pronto: “Chama-se Paisagem da Insônia e sai daqui a alguns meses. Aí eu fecho minha relação com contos. Agora parto para escrever romances. Questão de foco, mesmo”.

Mesmo dando adeus à narrativa curta por enquanto, Mirdad cita seus autores favoritos do gênero: “Gosto muito dos contos de Anton Tchekov, Guy de Maupassant, Dino Buzatti. Na Bahia, eu gosto de Hélio Pólvora e Mayrant Gallo”. Ultra-contemporânea em temáticas e estética, a produção de Mirdad em O Grito do Mar na Noite aborda uma gama bem familiar de personagens urbanos.

Há o putão de academia com tendências homossexuais ocultas (no conto Bonecas), a mulher de meia idade que nunca teve orgasmo (Assexuada), o idoso que é abandonado pela filha em um hospital (Chá de Boldo) e até uma narrativa-painel, na qual uma situação leva a outra, refletindo um caos social bem soteropolitano (O Banquete). “São tipos que poderiam estar em qualquer lugar, mas estão aqui em Salvador”, conclui Mirdad.

 

(Fonte: Portal Jornal A Tarde / Foto: Leo Monteiro | Divulgação)

 

ASSINATURA

Lena Sena foi empresária do mundo da moda e também do segmento de alimentação. É designer de interiores e paisagista, duas de suas grandes paixões. Também é arteira, como gosta de ser chamada entre os que trabalham com artesanato, atividade que continua a lhe conferir belas criações.

Deixe seu comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Input your search keywords and press Enter.