Lendo agora:
DUO Gomes-Mello apresenta o concerto “E as cordas cantam” com composições de Heitor Villa-Lobos, Chiquinha Gonzaga e Mauro Giuliani, no mês de outubr
Artigo completo 4 minutos de leitura

DUO Gomes-Mello apresenta o concerto “E as cordas cantam” com composições de Heitor Villa-Lobos, Chiquinha Gonzaga e Mauro Giuliani, no mês de outubr

Dia 07.10, domingo, às 11h, Biblioteca Mário de Andrade
Direção musical de Heloisa Petri
Direção artística de Júlio Cesar Rocha
Arranjos e participação especial de Iana Escudeiro

Próximas apresentações de lançamento

Dia 07.10, domingo, às 11h, Biblioteca Mário de Andrade

Dia 13.10, sábado, às 13h, Biblioteca Alceu Amoroso Lima

Dia 17.10, quarta, às 20h, Sala Olido

O “DUO Gomes-Mello”, fundado em 2013 pelo tenor mineiro Liu Gomes e o violonista paulista Lucas Mello, apresenta no mês de outubro o concerto “E as Cordas Cantam”, trabalho inédito que une a música de câmara brasileira e europeia em um espetáculo que prioriza a expressividade das melodias e a relação entre música e poesia nas obras apresentadas.

No repertório, escolhido pela dupla de músicos e suporte de Heloisa Petri (soprano com larga experiência no cenário camerístico brasileiro), que assina a direção musical, estão desde o racional classicismo setecentista de Mauro Giulianni até a música brasileira representada por Chiquinha Gonzaga e Heitor Villa-Lobos.

O ciclo de canções que será apresentado no concerto tem na voz e no violão uma intrínseca ligação à estética do bel canto do século XIX.

E embora o repertório das peças musicais tenha sido originalmente escrito para voz e piano, com exceção de algumas obras de M. Giuliani, os arranjos executados serão adaptados para o violão, flauta e violoncelo, oferecendo uma nova dimensão de execução das obras. O intuito é incentivar a reflexão crítica sobre o estudo da música de câmara e as tendências da música brasileira e do ensino do violão no país, tomando como guia o entendimento de que a arte se faz a partir de caminhos criativos.

“Em ‘E as cordas cantam’ são apresentados fragmentos melodiosos que abordam o repertório da música brasileira e erudita europeia de maneira intencional, isto é, pretende-se reviver uma delicada e elegante atmosfera de expressividade sonora que busque, na música do passado, uma leitura abrangente, que pode ser parâmetro para compreender as sutis relações entre a arte e a sociedade, sempre valorizando e divulgando novas releituras, sejam das canções do mais diversos compositores ou, nesse projeto, em especial, as de Mauro Giuliani, priorizando o acompanhamento do popular instrumento de seis cordas”, diz Liu Gomes.

‘A proposta é executar as obras musicais com visão simplista, porém relevante, misturando bravura, leveza e doçura nas canções, utilizando elementos técnicos que produzam e fomentem “emoções”, na voz e no instrumento’, complementa Petri.

A dupla estará acompanhada dos músicos Douglas Lima, na flauta, e Karen Hapuque, no violoncelo.

O “DUO Gomes-Mello”, fundado em 2013 pelo tenor mineiro Liu Gomes e o violonista paulista Lucas Mello, reuniu um repertório de vanguarda para o violão e o canto. Realizou sua primeira apresentação em 2016, na Sala do Conservatório, na praça das Artes, em São Paulo com a execução do ciclo SEI CAVATINE Opus 39, de Mauro Giuliani, fruto de um trabalho de pesquisa, estudo e admiração pela música de câmara de estilo galante que aborda como tema principal o conceito de música e poesia.

“E as cordas cantam” já foi apresentado na Casa de Cultura Vila Guilherme e na Biblioteca Mário de Andrade.

A próxima apresentação depois do Teatro Cacilda Becker será na Biblioteca Alceu Amoroso Lima, dia 07.10, domingo, às 11h.

FICHA TÉCNICA
Liu Gomes, tenor e idealizador
Lucas Mello, violão
Douglas Lima, flauta
Karen Hapuque, violoncelo

Anahí Borges, produção executiva
Heloisa Petri, direção musical
Júlio César Rocha, direção artística
Iana Escudeiro, arranjos e participação especial

Lena Sena foi empresária do mundo da moda e também do segmento de alimentação. É designer de interiores e paisagista, duas de suas grandes paixões. Também é arteira, como gosta de ser chamada entre os que trabalham com artesanato, atividade que continua a lhe conferir belas criações.

Deixe seu comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Input your search keywords and press Enter.