Lendo agora:
Amor-próprio
Artigo completo 2 minutos de leitura

Amor-próprio

Nem sempre o amor dos outros é suficiente. O amor-próprio chega. Começa ali, cresce e dá a perceber que sozinhos somos mais que com outros que não dão metade do que damos.
O amor-próprio chega. O amor não é só dar e receber. É sentir força quando nos vemos ao espelho, quando paramos para pensar quando éramos pequeninos, nos braços das nossas mães. Crescemos juntos, mas agora estamos sozinhos. Meio sozinhos, por sermos grandes. O amor-próprio é estar sozinho mas saber que temos com quem contar. Passo a passo, seguir.
338b39a8449a6d5f53e1458a6626aee09a71a1ae
Não deixar que ninguém nos diga o que temos de fazer. Não sentir culpa quando os erros são iguais em todo o lado, de outro lado, virado do avesso. Não deixes que te digam que estás errada, és errada, sentes errado.
O amor-próprio é isso. É estar consciente do erro e admitir. Não curvar as costas perante os próprios erros.
Quando éramos pequeninos os castigos era o tribunal dos nossos defeitos. Tivemos os que merecemos. Não mais. Uma dor perante a perda da infância é castigo suficiente para sabermos fazer o certo, mesmo errado.
O amor-próprio é isso. Conhecer o passado, querer conhecer o futuro. Melhor, com melhor. E se tiveres as costas magoadas, as pernas esquecem-se do amor-próprio. E aí, nem amor, nem coisa nenhuma.
(Fonte: Portal Crônicas de Amor / Foto: Blog de Carmem Arabela)
ASSINATURA

Lena Sena foi empresária do mundo da moda e também do segmento de alimentação. É designer de interiores e paisagista, duas de suas grandes paixões. Também é arteira, como gosta de ser chamada entre os que trabalham com artesanato, atividade que continua a lhe conferir belas criações.

Deixe seu comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Input your search keywords and press Enter.