Lendo agora:
Histórias reais inspiram a superar desafios e vencer seus próprios limites
Artigo completo 9 minutos de leitura

Histórias reais inspiram a superar desafios e vencer seus próprios limites

Conheça a trajetória de mulheres que mudaram corpo, a mente e a carreira

mulheres_dentro_img_principal

Zica Assis, Michelle Franzoni e Tatiana Piccardi

O Dia Internacional da Mulher lembra a importância de lutar por aquilo que se acredita e homenageia todas as mulheres guerreiras, perseverantes e cheias de amor. Para celebrar as conquistas, te inspirar a ir cada vez mais longe, e nunca se esquecer de que você pode alcançar tudo aquilo que desejar, o DaquiDali traz a história de três pessoas que fizeram acontecer e não desistiram ao encontrar dificuldades.

Recomeço e solidariedade


Tatiana e Eliana, madrinha da AHPAS. 

Tatiana Piccardi vivenciou aquele que é o pesadelo de toda mãe, a perda de um filho, mas conseguiu transformar sua experiência em algo novo, criando uma associação para cuidar de crianças e famílias que passam hoje pelo que ela viveu no passado. “Tudo começou em 1996, quando Helena tinha quatro anos e descobrimos um câncer muito grave e irreversível. Eu, como mãe, nunca acreditei nessa irreversibilidade e foi isso que me segurou durante os meses de tratamento. Com cinco anos, ela faleceu”, recorda.

Em 1999, a tristeza de Tatiana se transformou em uma batalha e, partindo da ideia de seu marido, Luiz Maurício, foi criada a AHPAS, Associação Helena Piccardi de Andrade Silva, que, entre outras funções, ajuda no transporte de crianças e jovens com câncer para garantir a continuidade de seus tratamentos, além de dar apoio às famílias. “Nos colocamos como uma rede de apoio para agilizar o tratamento e garantir que ele aconteça, porque vimos que muitas famílias desistem na cidade de São Paulo pela falta de condições para que cheguem aos hospitais”, explica.

“A dor e a saudade incontornável ficam para sempre, acho que não existe superação, mas incorporar essa dor como parte da sua história e transformá-la em um motor para seguir em frente e te levar a fazer uma ação nova e positiva é uma questão de parar e perceber que ou você faz ou morre, estagna no sofrimento. Poucos têm a oportunidade de conhecer seus anjos da guarda pessoalmente como eu tive”, diz.

Tatiana acredita que o sofrimento tem a sua função social e tem o poder de juntar as pessoas, levá-las a agregar umas as outras e despertar a solidariedade: “ajudar é uma forma de saber que você não está sozinho e isso é muito profundo”. Como conselho para quem passa por dificuldades, ela cita a confiança, a ousadia e o bom humor. “Você tem que ter confiança em você mesma, em Deus, no próximo. Precisa de ousadia, no sentido de que não fique muito passiva, tente uma coisa nova e se obrigue a seguir, e por último o bom humor, a gente não pode deixar de rir nunca e não é pecado rir no meio de uma situação ruim, se desloque um pouco e se olhe de fora, se permita rir até de você mesma”, completa.

Um novo horizonte


Zica e suas fórmulas de sucesso. 

Zica Assis é a prova viva de que com perseverança, carinho e boas ideias nunca é tarde para começar um negócio de sucesso. Seu primeiro emprego, aos nove anos, foi como babá e empregada doméstica, e hoje ela integra a lista da revista “Forbes” das 10 mulheres de negócios mais poderosas do Brasil com sua rede de salões Beleza Natural, especializada em cabelos crespos. “De repente, você está no meio daquelas pessoas grandiosas, formadores de opinião em diferentes setores do mercado. Uma pessoa que começou lá na favela e de repente está na Forbes, é de arrepiar. Não é fácil empreender no Brasil e a gente representa essa classe, então minha responsabilidade é cada vez maior”, comemora.

O primeiro passo, que a levaria a abrir o salão 13 anos mais tarde, surgiu aos 21 anos da própria dificuldade de lidar com os cabelos crespos. “Resolvi estudar para ser cabeleireira porque acreditava que, conhecendo meu fio, poderia fazer alguma coisa para melhorar minha situação – não me conformava em ter de alisar os cabelos para ficar com um aspecto razoável.Deixei de ser uma trabalhadora para ter uma profissão: fiz um curso de cabeleireira na paróquia da comunidade de Catrambi, no bairro da Tijuca, no Rio de Janeiro”, conta. Durante os anos em que exerceu a profissão, criou uma fórmula para as madeixas cacheadas e juntou o dinheiro necessário para abrir seu próprio negócio, que hoje conta com 19 unidades de salões espalhadas pelo país.

O caminho não foi fácil, mas ela garante que ver os resultados foi gratificante e fez tudo valer a pena. “Tudo é complicado para o pequeno empreendedor. Para nós, abrir uma conta no banco era difícil, quem diria conseguir financiamento. Fornecedores também diziam que nossa ideia não interessava. Não tínhamos capital para fazer um salão grande ou para decorá-lo como gostaríamos, não tínhamos crédito em bancos ou financeiras, não tínhamos verba para publicidade, mas isso não nos impediu de prosperar”, lembra.

Para quem quer atingir o sucesso, Zica tem um mantra e sete passos: “Eu quero, eu posso, eu consigo. Primeiro, corra atrás do seu sonho. Segundo, não desista, mesmo com todas as dificuldades. Terceiro, entenda bem e goste muito do ramo no qual pretende atuar, o trabalho só é bem feito quando se gosta do que se faz. Quarto, estude, busque novos conhecimentos e pesquise o mercado. Quinto, tenha muita determinação e força de vontade. Sexto, procure por meio do seu trabalho ajudar as pessoas a sua volta e sétimo,  não perca o foco. . É importante também cercar-se de profissionais que te ajudem e tenham conhecimento em diversas áreas. Ninguém faz nada sozinho, portanto, junte-se a pessoas competentes e do bem”.

Reinvente-se


O antes e depois de Mimis. 

Michelle Franzoni, a Mimis, tem algo em comum com a grande maioria das mulheres: ela passou a vida toda em guerra com a balança. Entre dietas, períodos de emagrecimento e efeito sanfona, encontrou a fórmula para o corpo ideal ao mudar não apenas os seus hábitos, mas também seu interior. Hoje, é um ícone de vida saudável, com milhares de seguidoras em suas redes sociais — todas interessadas em suas receitas e dicas para ter uma vida saudável e um corpo de dar inveja. “Eu sempre tive dificuldades, até que em 2008 engordei 30 quilos por problemas pessoais e estresse. Eu sabia como fazer para emagrecer, mas sabia também que engordaria de novo só com a dieta. Procurei o psicólogo porque minha relação com a comida era emocional, melhorando minha relação comigo mesma melhorei também com a alimentação”, revela.

Decidida a ter um filho, ela percebeu que era preciso mudar de vida para conseguir dar o exemplo que gostaria. “Se eu engordasse ainda mais acho que não teria uma gestação feliz, que eu acho muito importante. A partir dessa reflexão eu decidi mudar todos os meus hábitos, e acho que é isso que realmente funciona. O corpo é um reflexo dos bons hábitos e da qualidade de vida, e quando pesava 100 quilos não pensava que um dia teria um corpo perfeito”, afirma.

A transformação ocorreu primeiro internamente, para depois ganhar o exterior, superando cada desafio do dia a dia. “Eu sempre falo que o mais difícil é tomar a decisão, a primeira semana, e a gente vai vencendo dia após dia, até que aquilo vire algo que faz parte do nosso cotidiano”, garante. Nesse período, o apoio dos amigos, familiares e companheiro faz diferença, e é preciso que você se afaste das tentações. “Minha família sempre gostou de se reunir para comer e tive que trabalhar com isso, me adaptar. Você tem que encontrar seu método de lidar com a vontade, eu tinha que selecionar os convites, ou você recusa alguns ou vai ter que se controlar mais no início”, completa.

Para quem quer começar uma vida mais saudável, Mimis indica ter foco no objetivo, principalmente no começo da mudança de cardápio e rotina de exercícios: “Precisa ter muita força de vontade e tem que vir de dentro. A internet pode ajudar muito porque os profissionais são importantes, mas as pessoas às vezes não podem pagar, então busque dicas, vejo gente emagrecendo e sendo mais saudável com a ajuda da web”.

Outro ponto crucial para ela foi ter os chamados “extras”, que permitiam uma refeição livre por final de semana e um doce ou um vinho. “Aprendi a escolhê-los desde o começo da semana porque aquele era meu momento, meu presentinho. Hoje eu posso comer um chocolate, mas isso não pode ser minha rotina, todos os dias”, ensina.

Por fim, é importante lembrar-se que, além do resultado estético, uma mudança verdadeira tem como foco a saúde e deve te dar prazer para que seja incorporada de fato. “Eu sempre gostei muito de cozinhar e quando eu me propus a mudar tive que alterar minha culinária, senão eu sabia que não ia aguentar. Comece a adaptar as receitas que você gosta com ingredientes mais leves e saudáveis, tudo tem adaptação e fica muito gostoso. Querendo de verdade você vai fazer e vai gostar desse novo estilo de vida, é tão gratificante que queremos continuar mudando. Tem que mentalizar seu resultado, o seu bem estar, que é isso que realmente ajuda”, finaliza.

 

(Fonte: Portal Daquidali – Naiara Taborda / Foto: Neila Oliveira – Maurício Marconi – Divulgação)

 

ASSINATURA

Lena Sena foi empresária do mundo da moda e também do segmento de alimentação. É designer de interiores e paisagista, duas de suas grandes paixões. Também é arteira, como gosta de ser chamada entre os que trabalham com artesanato, atividade que continua a lhe conferir belas criações.

Deixe seu comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Input your search keywords and press Enter.