Lendo agora:
Apure sua capacidade de sentir os perfumes da vida
Artigo completo 5 minutos de leitura

Apure sua capacidade de sentir os perfumes da vida

Aromas detonam lembranças, imagens e emoções. Ao estimular a capacidade de sentir cheiros, você aumenta sua saúde. E também seu prazer.

A capacidade de perceber a multiplicidade dos cheiros está relacionada com a possibilidade de viver mais intensamente

A capacidade de perceber a multiplicidade dos cheiros está relacionada com a possibilidade de viver mais intensamente

Quando chegavam as dez horas da noite, tio Alfredo convocava as crianças para uma curiosa excursão: sentir o cheiro da maresia. Segundo seus preciosos conhecimentos olfativos, aquela era a hora ideal para sentir a maresia pegando. Isto é, o momento em que ela se tornava intensa, penetrante e pronta para ser saboreada por todos nós.

Sentadinhos em um dos bancos da praia de Copacabana, todos se uniam num respeitoso silêncio à espera daquele cheiro inconfundível, que tomava conta do nosso olfato. Um registro que, tenho certeza, se tornou indelével na memória de todas aquelas crianças.

Com esse singelo passeio de férias, meu tio me ensinou que a vida tem cheiro.

Existe um argumento imbatível para você se abrir para os aromas: a capacidade de perceber a multiplicidade dos cheiros está relacionada com a possibilidade de viver mais intensamente, seja para estimular o prazer do instante (o momento presente), o despertar da memória emocional (o passado) ou abrir um maior leque com relação às escolhas da vida (o futuro).

Quer saber como? É só acompanhar as histórias dos personagens nas próximas páginas.

Quando pequeno, Eurico Mazzini esperava o momento em que as flores da uva cobrissem as colinas de Vinhedo, região de tradição vinícola perto de São Paulo. Sentia com prazer seu perfume adocicado, muitas vezes temperado pelo cheiro de terra molhada e de chuva. Percebia como esse aroma alcançava notas penetrantes logo de manhã e como sua intensidade variava ao longo do dia. Claro, essa percepção apurada ele só é capaz de identificar hoje, como perfumista que é da Casa de Fragrâncias Firmenich, multinacional que desenvolve alguns dos melhores perfumes do mundo.

Se Eurico não tivesse se especializado nessa área, talvez não percebesse a amplitude dos registros olfativos já presentes em sua memória. Seria como a maioria de nós, que não temos idéia da quantidade de cheiros arquivados em nosso cérebro – ele pode registrar mais de dez mil classificações olfativas diferentes.

Que perfume impressionaria um homem assim, capaz de fazê-lo voltar a cabeça para ver a mulher que o estivesse usando? “Opium”, afirma Eurico. Por ser marcante? A resposta surpreende. “Também. Mas é mais porque tinha uma namorada, por quem eu era muito apaixonado, que o usava.” Pois é. Nada melhor do que uma boa associação.

O cheiro da memória

Essa curiosa característica, que relaciona os aromas a imagens e emoções do passado, tem sua razão de ser: a classificação dos cheiros é feita no sistema límbico, responsável também pelo deflagrar das emoções e pelos registros da memória.

Um dos maiores escritores do século 19, o francês Marcel Proust descreveu com maestria o que ocorre no cérebro a partir de um cheiro ou de um sabor. Proust percebeu que o gosto de baunilha de uma única madeleine (bolinho fofo que acompanha o chá) era capaz de detonar uma profusão de imagens e sentimentos vindos do passado.

Escreveu ele ao experimentar sua madeleine:” De onde vinha esse prazer poderoso? Todas as flores de nosso jardim e as do parque de Swann, e as ninfas do rio Vivonne, e a gente simples da aldeia com suas casinhas, e toda a cidade de Combray e seus arredores, tudo aquilo que toma corpo e se torna sólido saiu, de minha xícara de chá.” Hoje a ciência sabe que o gosto é formado muito mais pelos aromas (mais de 70%) do que pelo paladar. Portanto, foi basicamente o aroma de baunilha que detonou as imagens de infância que desfilaram diante de Proust.

Mais prazer, mais amor

Se Proust nos revela que os aromas nos fazem lembrar do passado, se lojas e spas nos mostram que eles influenciam nossas escolhas futuras, o amor e o sexo dizem que as fragrâncias são indispensáveis no momento presente.

A perfumista Mandy Aftel é uma das especialistas nesse assunto. No seu livro, Essências e Alquimia, ela descreve longamente como os odores animais e a suposta capacidade afrodisíaca de certas plantas provocam nossa libido. São justamente as substâncias mais caras e as quem têm o cheiro mais surpreendente quando inaladas sozinhas: de curral, urina, suor. Essas substâncias são adicionadas a um perfume com muita parcimônia, mas são absolutamente essenciais. “A verdadeira mensagem de um perfume não está nas manchetes, mas sim nas letras bem pequenininhas”, diz, com bom humor, o zoólogo Michel Stoddart, pioneiro da biologia olfativa.

O aprendizado com os aromas pode se iniciar com essa simples sabedoria: o momento presente pode se tornar muito mais vivo, até mais apimentado, com a ajuda dos aromas. Que tal então tentar identificar com mais precisão os perfumes e cheiros que chegam nesse exato momento até o seu nariz?

(Fonte: Portal Revista Vida Simples – Liane Alves – Edição: MdeMulher/ Foto: Reprodução Revista VIDA SIMPLES)

ASSINATURA

Lena Sena foi empresária do mundo da moda e também do segmento de alimentação. É designer de interiores e paisagista, duas de suas grandes paixões. Também é arteira, como gosta de ser chamada entre os que trabalham com artesanato, atividade que continua a lhe conferir belas criações.

Deixe seu comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Input your search keywords and press Enter.